HISTÓRICO DE PARNAÍBA

Parnaíba possui belezas incontestáveis como a praia da Pedra do Sal, o Porto das Barcas, tombado pelo IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e transformado em Centro Histórico e Cultural e, abriga ainda, parte do Delta do Rio Parnaíba que, de acordo com a APA, Área de Proteção Ambiental, zoneada pelo IBAMA, esta área de proteção do Delta do Rio Parnaíba, abrange os municípios de Tutóia, Araióses, Ilha Grande, Parnaíba, Luis Correia e Cajueiro da Praia.

Em 1762, Parnaíba era chamada de Vila de São João da Parnaíba, sua sede ficava situada no povoado Porto Testa Branca. Em 1770, esta vila foi transferida para o Porto das Barcas, por oferecer condições mais adequadas para o escoamento dos produtos que eram comercializados, como a carne de charque e a carnaúba. A elevação de Vila à cidade, ocorreu em agosto de 1844.

Sua área territorial é de 436 km² , além de ser considerada a segunda maior cidade do estado do Piauí. Vale destacar, que foi o primeiro município do estado do Piauí a proclamar a sua independência do domínio português. Situado a 318 km de Teresina, sua população está estimada em 180.282 habitantes. Em seu território está localizada a Ilha Grande de Santa Isabel, e a comunidade do Morro da Mariana, que foi desmembrada para a criação do município de Ilha Grande do Piauí dando  acesso a praia Pedra do Sal.

No artesanato, destacam-se as tradições locais, como seus vasos de cerâmicas e o sisal, além das tecelagens com fibras das palmeiras de tucum, buriti e palha de carnaúba. As esculturas e os bordados, os quadros e as talhas de madeira, os tradicionais doces e licores, também compõem as riquezas deste estilo de produção.

A Pedra do Sal destaca-se ainda, em face dos enormes blocos rochosos que invadem o mar e que, quando as marés baixam, guardam poças d’água que evaporam, deixando montículos de sal. Daí a denominação de Pedra do Sal. Em suas proximidades, há um Farol, guia dos marinheiros para o perigo dos arrecifes.

A Lagoa do Portinho é um ponto de visitação e possui condições apropriadas para o esporte náutico, passeios em lanchas, surf de areia, jet ski e wind surf. Vale destacar, que esta lagoa é formada de água doce, por ser uma reentrância do Rio Portinho. A beleza de suas dunas sinuosas encanta tanto durante o dia quanto ao entardecer.

Como atrativos histórico-culturais, têm à disposição dos turistas: o monumento da Casa Grande da Parnaíba, Catedral de Nossa Senhora da Graça, Igreja Nossa Senhora do Rosário e a Casa do Artesão. Além destes, tem o Sobrado de Dona Alta, um dos mais antigos da cidade e o já citado Complexo Cultural Porto das Barcas, cercado por pontos comerciais e casarões com valor histórico reconhecido pela comunidade. Os casarões foram construídos com pedras brutas, casca de ostra e óleo de baleia.

Na cidade passam vários rios, sendo que o mais importante deles é o Igaraçu, que forma um dos braços que compõe o Delta do Rio Parnaíba. À sua margem, está o Porto das Barcas, hoje patrimônio arquitetônico de Parnaíba. No início do século XX, funcionou como centro de exportação da carne de charque e seus armazéns eram utilizados para estocar e embalar os produtos que saíam para outros estados.

Vale registrar outra informação com relação ao Espaço Cultural Porto das Barcas. Seu acervo arquitetônico data do século XVII. Sua história está associada à origem de Parnaíba e, por esta razão, atrai pessoas de todos os lugares do Brasil. Não podemos deixar de ressaltar a Casa Grande da Parnaíba, situada na avenida Getúlio Vargas, construída no século XVIII. É um exemplo da influência da arte portuguesa, além de ter acolhido muitos políticos e intelectuais para realização de reuniões e saraus.

Outro atrativo cultural de destaque, o Cajueiro Humberto de Campos, tombado pelo Patrimônio Histórico da Parnaíba.

Parnaiba-Cajueiro-Humberto-de-Campos

Este memorial foi em reconhecimento ao escritor e imortal Humberto de Campos, que foi morar em Parnaíba, no ano de 1894. Nesta cidade, encontrou o que considerou seu melhor amigo, um cajueiro, que mais tarde foi transformado em atração turística.

Um ponto turístico que não pode deixar de ser visitado numa estadia parnaibana é a Primeira Ermida de Parnaíba, situada à rua Duque de Caxias, construída em 1711, onde se encontrava a imagem de Nossa Senhora de Monte Serrat, trazida de Portugal, venerada como Padroeira de Feitoria.  Em 1712, os índios Tremenbés invadiram e atacaram a Feitoria e a imagem foi levada para a igreja de Piracuruca, onde ainda permanece.

A Praça da Graça, considerada um ponto turístico, pois além de ser uma referência em termos de lazer, é destaque cultural. Para muitos parnaibanos, marco de emancipação política do estado do Piauí, por ter sido neste local, que se deu o Grito da Independência, no memorável 19 de outubro de 1822. Além deste emblemático evento, na Praça é localizado o marco zero, de onde se originaram as casas, as igrejas e outras manifestações.

No centro da cidade, ainda na Praça da Graça, está situada a Igreja do Rosário, que em sua construção envolveu o trabalho escravo. Por esta razão, a obra é dedicada a Nossa Senhora do Rosário dos Homens Negros. Conta a história, que somente os negros freqüentavam-na, pelo fato desta raça ter sido proibida, durante muito tempo, de freqüentar a catedral.

A Catedral de Nossa Senhora da Graça é um destaque à parte, tanto pelo seu valor religioso, quanto arquitetônico. Com característica em estilo Barroco, ostenta duas portas com pedras nobres de “Cantaria”. Em um dos seus arcos, está a Capela do Santíssimo Sacramento, com pedra “Lioz”. A imagem de Nossa Senhora da Graça, a padroeira da cidade, é de estilo barroco portuguesa, com pedestal de Rococó e pintura original.

Atualmente, Parnaíba mantém um acervo arquitetônico colonial português, distribuído numa área de 7.000m², onde funcionam restaurantes, bares, galerias, sorveterias, hotéis, espaço para venda de artesanato e de arte, praças de eventos e auditório.

Os shows musicais e as exposições artísticas, feiras, além de cursos e encontro de pesquisadores, turistas e estudiosos do turismo. Os restaurantes são outros espaços que oferecem aos visitantes, um dos mais variados cardápios, compostos por frutos do mar e frutas tropicais. Outro destaque é a Beira do Rio e Av. São Sebastião que acolhe todos os freqüentadores com bares, sorveterias, pizzarias e restaurantes. O desenvolvimento comercial atualmente será impulsionado pela inauguração de dois shoppings centers que atrairam franquias nacionais e internacionais.

O aniversário da cidade, comemorado no dia 14 de agosto é um dos eventos populares mais concorridos na região  norte do estado.

 

 

 ROTEIROS DE VIAGEM COM SAÍDAS DA CIDADE DE PARNAÍBA (PI)

PARNAÍBA (PI) / LENÇÓIS MARANHENSES (MA) – 2 DIAS E 01 NOITE

1º DIA – Transfer (trecho asfalto) com destino a praia de Caburé que fica localizado à margem do Rio Preguiças. Passa pela ponte de Jandira (divisa Piauí-Maranhão), Cana Brava, Barro Duro, Tutóia, Lagoinha, Paulino Neves, começo dos Pequenos Lençóis Maranhenses, onde se encontra o “Oásis de Rio Novo”. Daí em diante segue por trilha off-Road pelas dunas, campo e praias desertas até o Caburé (pausa almoço); Transfer privativo pelo Rio Preguiças em lancha voadeira, com destino a Barreirinhas, com vista panorâmica, passando pelo Farol de Mandacaru e município de Vassouras; Pernoite em Barreirinhas, pousada categoria turística;

2º DIA – Café da manhã; Passeio ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses com visita às lagoas Azul e do Peixe, em transporte jardineira 4×4 coletivo; transfer de Barreirinhas a Parnaíba, em veículo 4×4; chegada em Parnaíba-Sem hospedagem.

PARNAÍBA (PI) / JERICOACOARA (CE) – 02 DIAS 1 NOITE

1º DIA – PARNAÍBA – JERICOACOARA – Transfer de Parnaíba a Jericoacoara, em veículo 4×4, passando por Camocim, Ilha do Amor, Duna do Funil, Lagoa da Torta (parada para almoço – não incluso); Tatajuba Velha, Tatajuba Nova, Mangue Seco e Guriú; Pernoite em Pousada Turística;

2º DIA  JERICOACOARA – PARNAÍBA – Café da manhã; Passeio na Pedra Furada; Passeio as lagoas, Azul e Paraíso, passando pela árvore da Preguiça e praia do Preá; Transferi de Jericoacoara a Parnaíba, em veículo 4×4. Chegada em Parnaíba. Sem hospedagem.

PARNAÍBA, DELTA DO RIO PARNAÍBA E PRAIAS – 02 DIAS  1 NOITE

1º DIA – PARNAÍBA – DELTA DO RIO PARNAÍBA – Transfer de Parnaíba a Ilha Grande- PI – Porto dos tatus, em veículo de passeio, passando por: Cidade de Parnaíba (Centro Histórico, Rio Igaraçu, Bairro Santa Isabel, estrada via Praia pedra do Sal, Morro da Mariana, estrada para os tatus no município de Ilha Grande- PI).

Passeio privativo ao Delta do Parnaíba em lancha rápida, depois de percorrer um curso de aproximadamente 1500 km, o rio Parnaíba desagua no mar em 5 braços formando mais de 70 ilhas fluviais numa área de manguezais. Pausa para almoço – não incluso – na Ilha das Canárias (MA) por quase 05 horas e retorno pelo porto dos Tatus. Visita as rendeiras do Morro da Mariana em  Ilha Grande -PI. Pernoite em Parnaíba. Noite Livre.

2º DIA – PARNAÍBA – LUÍS CORREIA (PRAIAS DO LITORAL LESTE) – Café da manhã; Translado em carro de passeio do Hotel para passeio na lagoa do Portinho, praias Atalaia, Coqueiro, Itaqui e Maramar e Macapá (parada para almoço – não incluso) duração de 06 horas. TRANSFER OUT Barra Grande.

 

PARNAÍBA – BARRA GRANDE – TRASLADO

1 DIA – PARNAÍBA – BARRA GRANDE – CAJUEIRO DA PRAIA – Traslado de Parnaíba a Barra Grande (ou vice-versa)

 

 

Escolha um pacote e faça a sua solicitação através do email. Informe data, quantas pessoas, preferências e não esqueça de deixar um nome e telefone para contato.